Saiba mais
Idioma
Menu
Menu
Idioma

Conversa de mercado: Daniel Domingos e Camilo Diaz, Eastman

Outubro, 2018

A coluna mensal ‘Conversa de Mercado’ tem como objetivo trazer os mais recentes investimentos e movimentações do setor, aumentando o conhecimento sobre os concorrentes, as especulações de mercado e as ações das principais companhias.

Este mês, apresentamos Daniel Domingos, gerente de contas sênior (Interlayers) para a América Latina, e Camilo Diaz, gerente de vendas (Performance Filmes) para a América Latina da Eastman. A companhia atua nos setores arquitetônico e automotivo e, além da área vidreira, também aparece como líder no transporte e intermediários químicos, plásticos especiais, eletrônicos e bens de consumo.

Daniel Domingos

Iniciou sua carreira em 2004 como membro do departamento técnico, ocupando várias funções de crescente responsabilidade na região. Formado em engenharia e pós-graduado em administração pela Fundação Getúlio Vargas, tornou-se o responsável pela área comercial para a divisão de PVBs para o mercado de arquitetura e blindados desde 2014.

Camilo Diaz

Colombiano, vive no Brasil desde 2013. Possui graduação em Engenharia Mecânica pela Universidade dos Andes, na Colômbia. Possui vasta experiência em empresas multinacionais do ramo químico e atualmente é gerente de vendas pela Eastman, cuidando dos negócios de películas automotivas e arquitetônicas.

Entrevista

Como está sendo 2018 para vocês? Já conseguem projetar crescimento? De quanto (%)?
O ano de 2018 tem sido positivo para a Eastman, claro que tivemos desafios, mas conseguimos manter nossa posição e, ao mesmo tempo, responder aos anseios do mercado. Com isso, mantivemos nossa estratégia de crescimento e consolidamos nossas marcas no mercado brasileiro através de parcerias fortes.

Qual é o carro forte da Eastman?
Além do mercado do vidro, onde atendemos os segmentos arquitetônico e automotivo, a Eastman tem um espectro amplo de áreas onde aparece como líder, desde o transporte, passando por intermediários químicos, plásticos especiais, eletrônicos e bens de consumo, apenas para mencionar alguns desses mercados de atuação.

Quais as soluções que a Eastman oferece ao mercado vidreiro?
Para o mercado vidreiro a Eastman oferece o PVB, uma tecnologia já consolidada que confere diversos benefícios para o vidro laminado, como segurança, proteção, isolamento acústico, proteção contra raios UV e diversas possibilidades de cores. Além disso, também atendemos o mercado com as películas para vidros, com um portfólio que abrange, também, os mercados arquitetônico e automobilístico.

Nossa tecnologia de rejeição de calor proporciona conforto térmico e reduz a necessidade do uso do ar condicionado. Já nossa tecnologia de proteção contra raios UV protege os usuários da exposição excessiva e prejudicial, ajudando na prevenção do câncer de pele, além de reduzir os danos ao interior dos carros e ao mobiliário das casas. Ainda, nossas películas de segurança previnem acidentes ao permitir que as peças do vidro que sofreram impacto permaneçam juntas, atuando como uma barreira física de proteção quando o vidro é quebrado. Nossas películas arquitetônicas oferecem diferentes soluções para decoração, privacidade e design que permitem o uso do vidro para praticamente qualquer aplicação.

Quais tecnologias destacam que podem auxiliar no desenvolvimento desse setor?
Nossa tecnologia é desenvolvida para oferecer produtos de alta tecnologia e de ponta para nossos clientes. No mercado automotivo, por exemplo, temos a tecnologia HUD (Heads Up Display), que é apresentada como a tecnologia mais avançada em termos de PVB para para-brisas de carros. Enquanto que no mercado arquitetônico acabamos de lançar o produto Vanceva Illusion White, uma nova solução de design de guarda-corpo para arquitetos e designers. Em resumo, nossas tecnologias permitem o uso do vidro em aplicações em que o vidro convencional não seria suficiente para atender os desejos dos consumidores.

A produção de vocês é nacional ou importada? Ou os dois?
Nossa produção é importada e distribuída internamente por nossa operação e distribuidores parceiros.

Em quais países vocês estão presentes?
A Eastman tem uma presença global, o que significa que estamos presentes nos cinco continentes.

Como é a expressividade do Brasil frente a outros países?
O Brasil é um mercado importante para a Eastman, com potencial de crescimento em diversos segmentos e, por conta disto, precisamos estar constantemente perto do mercado para entender as suas necessidades e converter em soluções, mostrando os nossos produtos para que os nossos clientes consigam atuar em cima dessas oportunidades.

Vocês estão presentes em todas as regiões do Brasil?
Sim, através de nossos clientes é possível encontrar nossos produtos em todas as regiões do Brasil.

Acreditam que o setor vidreiro obteve melhoras esse ano?
Sim, notamos que nossos clientes estão mais diligentes com seus gastos e investimentos, perdas de produção e melhoria nos resultados. Esses tipos de ações são sempre importantes, mas em anos desafiadores, essas são as áreas que você precisa prestar uma atenção maior para evitar perdas desnecessárias e, ainda assim, continuar competitivo.

Destacam alguma tendência interessante para o próximo ano e que vocês já estão investindo?
Da perspectiva do PVB notamos que, no mercado arquitetônico, a demanda por vidros maiores aumentou, acompanhando uma tendência que já é uma realidade em mercados mais maduros, como a Europa. Vidros jumbo ou chapas gigantes não são mais temidas, o que mostra um crescimento de mercado em termos de produtos especiais (cores, acústico, estrutural). Já do lado automotivo, na América do Sul, o PVB acústico é uma tendência que está tornando-se o novo padrão. Carros com maior isolamento, mais quietos e mais confortáveis são mais requisitados pelo usuário final e, com as nossas películas, certamente conseguimos atender os fabricantes desses materiais.

Para o mercado de películas de acabamento, a consciência ao redor das causas do câncer de pele está aumentando e há uma alta demanda por soluções, como a que nós oferecemos com nossos materiais, por parte do público em geral. Para segurança, há também uma consciência acerca da fragilidade do vidro, notando que a barreira física que antes existia é facilmente rompida e que esses pedaços de vidro quebrado podem causar acidentes e lesões sérias. Estamos constantemente trabalhando para que os nossos produtos estejam disponíveis para os consumidores que possuem essas preocupações.

Quais foram os lançamentos em 2018? Como funciona o calendário de lançamentos de vocês?
Em 2018 nós lançamentos o Vanceva Illusion White – o lançamento, inclusive, aconteceu na Glass South America desse ano – para o mercado arquitetônico, atendendo uma necessidade de arquitetos e designers que buscavam esse tipo de solução em guarda-corpos. Nós não trabalhamos com um calendário de lançamentos, mas vamos lançar uma expansão do nosso portfólio de Saflex Solar, com o novo Saflex High UV e outros produtos.

Quais outros nichos vocês atendem?
Como falado anteriormente, a Eastman abrange uma elevada gama de produtos, desde aditivos para pneus e tintas, até plásticos especiais, produtos agrícolas e bens duráveis.

Quais foram os últimos investimentos da empresa? Abriram novas fábricas ou escritórios?
A Eastman recentemente anunciou a finalização de novas capacidades de produção da sua linha acústica de PVB na região da Ásia-Pacífico. A demanda por vidros com propriedade de redução acústica continua aumentando nos mercados arquitetônico e automotivo. Essa expansão, portanto, aumenta nossa capacidade em atender esse mercado em alta demanda.