Saiba mais
Idioma
Menu
Menu
Idioma

Conversa de Mercado: Max Pedro Del Olmo

Setembro, 2018

A coluna mensal ‘Conversa de Mercado’ tem como objetivo trazer os mais recentes investimentos e movimentações do setor, aumentando o conhecimento sobre os concorrentes, as especulações de mercado e as ações das principais companhias.

Este mês, apresentamos Max Pedro Del Olmo, presidente da Al Puxadores. A empresa realizou uma grande mudança no setor de ferragens para vidro temperado, conquistando o mercado nas várias regiões do Brasil. Os prêmios que a AL Indústria conquistou nesse período, confirmam a qualidade e a resistência das ferragens, e abriram campo para o investimento no setor de alumínio para vidro temperado. Hoje a AL está presente em todas as regiões do País, além de ter um Centro de Distribuição no Paraguai, e por extensão, participação em diversos países da América do Sul.

Max Pedro Del Olmo
Nos anos 90, Max fundou sua primeira vidraçaria, na região do ABC e conquistou seus primeiros clientes. Nessas obras, observando a carência de puxadores de aço e de alumínio, com formatos e tamanhos variados, colocou toda a experiência adquirida na metalurgia para produzir seus próprios acessórios, assim nasceu a AL Puxadores.

Entrevista

Como está sendo 2018 para vocês? Já conseguem projetar crescimento? De quanto (%)?
Nesse ano de 2018 estamos conseguindo, com muito esforço e graças ao excelente relacionamento que mantemos com nossos parceiros, o mesmo nível de vendas dos últimos quatro anos, o que considerando a realidade do nosso mercado, pode ser considerado um grande resultado.

Qual é o carro forte da AL Puxadores?
A linha de ferragens para vidro temperado é o nosso carro chefe, seguida pela produção de alumínio e puxadores.

Como é para vocês trabalhar com acessórios no mercado vidreiro?
Hoje, após 14 anos que lançamos a ferragem de polímero, a AL conquistou com muito trabalho e dedicação uma participação significativa desse mercado. Mas, sabemos que o mercado está cada vez mais competitivo, e que por essa razão, precisamos continuar nos dedicando cada vez mais para nos manter sólidos e bem estruturados.

A produção de vocês é nacional ou importada?
Nos orgulhamos de ter um produto 100% nacional, de gerar empregos no nosso País, e ainda exportarmos para os países do Mercosul.

Se nacional, importam para outros países?
A AL conta com um Centro de Distribuição no Paraguai, que com a filosofia de trabalho que nos orienta tem conseguido levar um produto de qualidade, e competitivo com as ferragens usadas naquele País. Nosso trabalho nos países vizinhos nos mostra que, embora muitas vezes nós brasileiros não reconheçamos, nosso mercado é muito grande, se considerarmos o vidro temperado como referência. Temos razões para nos orgulhar do potencial do mercado brasileiro.

Vocês estão presentes em todas as regiões do Brasil?
A AL conta hoje com parceiros (distribuidores) em todas as regiões do Brasil, que dão respaldo ao nosso trabalho, e que são fundamentais no nosso resultado. Temos por princípio atender lojistas, que se encarregam de distribuir nossos produtos nas diversas regiões do País.

Acreditam que o setor vidreiro obteve melhoras esse ano?
Trabalhamos sempre com uma projeção de esperança para o futuro, e num ano de eleições, a experiência nos indica que é o momento de observar o cenário político/econômico antes de pensar em novos investimentos.

Destacam alguma tendência interessante para o próximo ano e que vocês já estão investindo?
Esse ano lançamos um novo tipo de fecho, que denominamos de fecha-fácil, e que deve alcançar, segundo nossas projeções, uma participação significativa nessa faixa de produto.

Quais nichos vocês atendem?
Nos concentramos exclusivamente no mercado do vidro temperado e hoje nossa preocupação está muito concentrada na normatização do segmento, visto que, a falta e/ou descumprimento dessas normas, resultam no surgimento de produtos e/ou serviços, de baixíssima qualidade, que põe em risco a segurança dos consumidores e a credibilidade do setor como um todo.