Por Glass - Novo - pt Em Notícias Atualizada em 27 JAN 2020 - 10H15

Indústria de material de construção conjuga o verbo investir



Segundo o termômetro da indústria de material de construção, divulgado pela ABRAMAT (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção), 81% das empresas do setor têm pretensão de aumentar os investimentos nos próximos 12 meses (novembro de 2019 a outubro de 2020), seja na expansão de sua capacidade atual, seja na modernização de seus meios de produção. No ano passado, essa pretensão de investir abrangia 57% das companhias. “Continuamos buscando caminhos para um desenvolvimento sustentável da indústria de material de construção”, explica Rodrigo Navarro, presidente da ABRAMAT.

Para 73% dos empresários ouvidos para o termômetro da indústria, a intenção de expandir a produção independe das ações governamentais. Já 23% declaram estar otimistas com o governo para 2020. Para esses, além do desejo de utilizar mais da capacidade atual de produção há também a vontade de expandi-la com a aquisição de novos equipamentos. Dos entrevistados, apenas 4% se declararam pessimistas para os próximos 12 meses. Para o presidente da ABRAMAT, se o governo não atrapalhar já estará ajudando o setor. Porém, o dirigente considera que existem ações importantes para impulsionar a construção civil.


De acordo com Rodrigo Navarro, a ABRAMAT aguarda a retomada de investimentos em obras de infraestrutura, além de uma atuação propositiva que estabeleça canais de diálogo transparentes entre o setor público e a indústria de material de construção. “Questões como o apoio à modernização do marco regulatório do saneamento básico, às reformas estruturais, eliminação de burocracias, engajamento do setor no âmbito da Indústria 4.0 e combate à falta de conformidade técnica e fiscal são temas que terão continuidade e fazem parte desse contexto de crescimento sustentável”, afirma.


Varejo da construção civil está entre os setores que mais crescem em 2019


Independentemente dos impulsos que a macroeconomia pode dar à construção civil, sinais de que o setor retoma seu crescimento – ainda que lento e gradual – são cada vez mais evidentes. A ABRAMAT apurou que a indústria de materiais de construção cresceu 1,9% no período que compreende de novembro de 2018 a outubro de 2019. Comparativamente, de novembro de 2017 a outubro de 2018 a elevação chegou a 1,2%. O crescimento maior ocorreu no segmento de materiais de acabamento, que registraram alta de 4,7%. O aumento de demanda na indústria é reflexo do volume das vendas no varejo da construção, que em 12 meses cresceu 3,5%, aponta o IBGE.


O varejo da construção civil só está crescendo menos que veículos, motos e peças (11,2% no acumulado de 12 meses), produtos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (6,6% no acumulado de 12 meses) e artigos de uso pessoal e doméstico (6,3% no acumulado de 12 meses). Para Navarro, um crescimento mais uniforme em todos os setores abrangidos pela ABRAMAT depende da modernização da produtividade de alguns segmentos. “Entendemos como fundamentais para sustentar o crescimento, o incentivo à modernização dos parques fabris dos nossos associados e o intercâmbio de boas práticas internacionais e domésticas”, afirma.

Entrevistado
Reportagem com base no termômetro da indústria de material de construção, da ABRAMAT, e no índice de vendas do varejo, do IBGE

Fonte: Massa Cinzenta 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Receba as últimas novidades do setor vidreiro

Parceria Exclusiva
Eventos Paralelos
Local
Filiada à
Parceiro de Mídia

Boleto

Carregando ...

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Glass - Novo - pt, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.